18/09/2015 às 23h33m

O rock e o futebol, sempre lado a lado

Em tempos de Rock in Rio, pontos interessantes em comum entre a música e o esporte

Olá, amigos de "A Cultura do Futebol".

Nesta semana, em nossa coluna, falaremos de rock. Começa por esses dias o Rock in Rio, maior festival de rock do planeta - é o que dizem - e que traz alguns dos melhores artistas do mundo para nossas redondezas. É claro que não são poucas as bandas e os artistas consagrados que pisam os palcos cariocas e hoje falaremos sobre as particularidades que alguns deles têm com o futebol, envolvendo até outros que não estarão aqui, como o grande Ozzy Osbourne da foto.

Falando particularmente, gosto de rock, mas não me considero um grande conhecedor, longe disso até. É como aquele sujeito que não cozinha nada, mas "sabe comer de tudo". Como vou assistir a tudo de casa neste ano, mais uma vez, fica um pouco mais fácil falar sobre o festival sem a ilusão de estar lá, o que poderia me fazer desviar um pouco do caminho por causa da empolgação. Mas um pouquinho dela ainda existe por saber que grandes feras estão aqui ao lado.

Bem, falemos dos caras. Na primeira semana, já teremos os lendários ingleses do Queen. Como bons ingleses, é claro que têm uma forte ligação com futebol. Basta lembrar a famosa foto do falecido Freddie Mercury vestindo a camisa da Argentina ao lado de Diego Maradona: um era fã do outro. Uma coisa que pouca gente deve saber é que Freddie admitiu que estava pensando em futebol quando escreveu "We Are The Champions", um dos maiores sucessos da banda e que se tornou um hino da vitória dentro do esporte.

No domingo, duas lendas da música se apresentam: Elton John e Rod Stewart. O primeiro foi "apenas" dono do Watford, da Inglaterra, por 35 anos, e ajudou o clube a chegar à Primeira Divisão do seu país. Além de ser um grande torcedor do clube, chegou a colocar imagens de um jogo no videoclipe de "Nikita", um grande sucesso seu, dos anos 80. Já Rod também não esconde de ninguém sua paixão pelo futebol e é conhecido por chutar bolas de futebol na direção dos fãs durante o show. Escocês, é fanático pelo Celtic e já foi flagrado às lágrimas quando seu time ganhou de forma histórica do Barcelona, anos atrás.

Falando de artistas brasileiros, os Paralamas do Sucesso têm em Herbert Vianna um grande rubro-negro. Ele gravou o hino do clube para a Revista Placar, na década retrasada. Outro flamenguista é Pepeu Gomes, grande guitarrista e egresso dos Novos Baianos, grupo que nunca perdeu a chance de citar o futebol em suas músicas ou mesmo nomes de álbuns. Que o diga o grande "Novos Baianos Futebol Clube", que aliás é uma obra-prima. Além disso, vale lembrar que os talentosos músicos sempre tiveram relações de amizades com alguns dos nossos grandes craques, como Afonsinho e Nei Conceição, por exemplo.

Na outra semana do RiR, tem os noruegueses do A-Ha, que apesar de serem da Escandinávia, torcem pelo clube inglês Stoke City. Nos países por onde passam, sempre fazem questão de vestir a camisa da seleção local. Não se espantem, portanto, se o vocalista Morten Harket lançar a Canarinho no Palco Mundo... Também tem a estrela pop Rihanna, que esteve no Brasil durante a Copa do Mundo passada e tietou os alemães Götze e Podolski, campeões mundiais, embora não se saiba ao certo se a cantora barbadiana é uma grande adepta do esporte.

Fora do Rock in Rio, é possível apontar alguns outros astros ligados ao futebol, todos ingleses. Joe Elliott, vocalista do Def Leppard, torcedor do Sheffield United, os irmãos Gallagher, do Oasis, fanáticos pelo Manchester City, e Steve Harris, baixista do Iron Maiden e que torce pelo West Ham, mas que andou assistindo aos jogos do Vasco, assim como seus companheiros, na época do Rock in Rio III, em 2001. Mas é claro que a imagem que melhor ilustra o paralelo entre futebol e o festival é a capa de nossa coluna, com o eterno Ozzy Osbourne vestindo rubro-negro na primeira edição, em 1985. Com medo de eventuais vaias, Ozzy queria ganhar o público de qualquer jeito e "apelou". Acabou entrando para a história e "dando" ao Flamengo um novo torcedor-símbolo.

Livro de cabeceira
Prestigiando os amigos americanos da coluna, comprei "Tijucamérica" (Paralela, 232 pgs.), de José Trajano. Uma história sobrenatural contada pelo jornalista da ESPN - e ouvinte da Rádio FutRio - para fazer o Mecão novamente campeão, depois de tantos anos.

Jogando por música
Sendo breve e sem fugir do tema - e a foto - eis a performance de Ozzy Osbourne no Rock in Rio, de camisa do Flamengo e tudo, com "Crazy Train", em 1985.

Até semana que vem, no FutRio.net.

Comentários nesse artigo

O Autor

Gabriel Andrezo é narrador, repórter e amante do esporte mais popular do mundo.

As informações deste site são constantemente atualizadas pelo FutRio. Ressaltamos que o FutRio reserva-se ao direito de alterar qualquer informação do site, valores e demais informações, sem aviso prévio.

© Copyright FutRio - Todos os direitos reservados.

desenvolvido por