12/10/2018 às 19h10m

12 de outubro: Os 105 anos do Bonsucesso

Rubro-Anil é histórico celeiro de craques na Leopoldina

Não é só o São Cristóvão que completa mais uma primavera em um 12 de outubro. Outro clube, não muito afastado da Figueirinha, é outro a soprar velinhas no feriado nacional: o Bonsucesso Futebol Clube, fundado em 1913, completa 105 anos nesta sexta-feira (12), para mais uma comemoração e festa de seus torcedores. Uma história de vitórias e feitos importantes no futebol do Rio de Janeiro, além de grande identificação com seu bairro e sua região. Além dos grandes craques que já atuaram com a camisa vermelha e azul, o Cesso conquistou a fama de clube suburbano e simpático, dono de um estádio acanhado e tradicional, na Avenida Teixeira de Castro.

Já nos primeiros anos, o clube entrou nas disputas do Campeonato Carioca. Em princípio, no entanto, limitou-se às disputas da Liga Suburbana, que não contava com os clubes mais tradicionais. Na Liga, faturou as duas primeiras divisões de maneira consecutiva, chegando de vez ao Carioca em 1920. Jogou a Segundona e empilhou quatro títulos na década, mas como o campeonato nem sempre tinha acesso direto, o que manteve a equipe por muitos anos longe dos maiores clubes do Rio.

A partir de 1929, o time passou a frequentar a elite com assiduidade. Em seu time, brilhou Leônidas da Silva, que chegou à Seleção Brasileira e tornaria-se um dos maiores craques de sua época. Provavelmente, foi nos anos 30 que o Cesso atravessou seu melhor momento, tendo ainda Gradim como craque marcante dentro e fora de campo, tendo sido jogador e, posteriormente, treinador. A equipe chegou a derrotar o Palestra Itália (SP), que mais tarde se tornou Palmeiras, e São Paulo.

Mas os melhores resultados do Cesso começaram a vir apenas na década de 50: apesar de ter chegado em quatro lugar duas vezes no então dividido Campeonato Carioca, em 1935 e 1936, só voltou a fazer uma grande campanha em 1955, quando ficou em sexto. Nos anos 60, repetiu a campanha duas vezes e virou pedra no sapato de grandes equipes, surpreendendo Flamengo, Botafogo, Vasco e Fluminense algumas vezes. Em 1975, o Bonsuça chegou a derrotar o River Plate (ARG) no Torneio Conde de Fenosa, na Espanha, construindo também resultados destacados em excursões ao exterior.

A partir dos anos 80, a consolidação da segunda divisão do Carioca deu ao Cesso a chance de faturar mais títulos, em 1981 e 1984. O fim do Século XX viu o clube perder espaço nos grandes campeonatos e o time disputou a última edição na elite em 1993. Uma impensável queda para a Terceirona ocorreu na virada do Século, mas o clube se recuperou com o título, em 2003. Depois de vários anos fora da elite, o título da Série B de 2011 recolocou o clube no maior cenário estadual. Ultimamente, o Cesso vem oscilando entre as duas principais divisões e, mesmo tendo "estacionado" na Série B1, ainda é um dos clubes que mais jogou a elite do Estadual, com 58 participações.

O Bonsucesso disputou o Campeonato Brasileiro apenas duas vezes, jogando a Taça de Prata (equivalente à segunda divisão) em 1981 e 1983. Entre seus grandes jogadores na História, destacam-se nomes como Pedro Nunes, Severiano, Urubatão, Barbosa, Gilbert, Alcir, Zé Mário, Cabral, Nilo, Moisés, Pedrinho, Jair Pereira, Naldo, Lulinha, Maurício, Leandro Euzébio, Túlio Maravilha e Allan.

Comentários nesse artigo

Outras Notícias

Encontre-nos no Facebook






As informações deste site são constantemente atualizadas pelo FutRio. Ressaltamos que o FutRio reserva-se ao direito de alterar qualquer informação do site, valores e demais informações, sem aviso prévio.

© Copyright FutRio - Todos os direitos reservados.

desenvolvido por