29/05/2014 às 19h07m

29 anos de uma tragédia que não merece ser esquecida

O desastre de Heysel foi uma das maiores desgraças do futebol europeu

Salve, galera. "A Cultura do Futebol", mais uma vez aqui no FutRio.net.

Hoje, nossa lembrança é ruim. É que há exatamente 29 anos, uma tragédia abalava o futebol europeu e manchava de sangue, para sempre, a história de um confronto que deveria acontecer apenas em campo. Em 29 de maio de 1985, aconteceu o desastre do Estádio de Heysel, em Bruxelas, na Bélgica. Torcedores da Juventus (ITA) e do Liverpool (ING) entraram em conflito nas arquibancadas e 39 pessoas morreram, a maioria italianos.

A tragédia ganhou proporções ainda maiores por ter acontecido em uma decisão de campeonato. E era a Copa dos Campeões Europeus, a atual Champions League. Um jogo esperado pelo público europeu, mas que acabou manchado pela selvageria de torcedores que estavam mais motivados em brigar do que em assistir ao futebol. Mas não foi apenas isso.

Por muito tempo, culpou-se os torcedores do Liverpool pela tragédia, que fez com que muitos fãs do lado italiano caíssem uns sobre os outros, na tentativa desesperada de escapar. No entanto, a pequena barreira de policiais que separava as torcidas e a fraca cerca de separação entre as mesmas foram erros de planejamento difíceis de aceitar. Especialmente porque muito se prometeu na semana do jogo - já que os "hooligans" ingleses eram considerados perigosos - e pouco foi feito efetivamente.

Para se ter ideia, os torcedores italianos que conseguiram deixar o estádio (o detalhe é que toda a tragédia aconteceu antes mesmo da bola rolar) passaram os 90 minutos da partida em confronto com a polícia. O fato é que foi um momento obscuro do futebl europeu. Não foi como em Hillsborough, em que quase cem pessoas morreram esmagadas por excesso de gente no estádio, culpa da falta de planejamento das autoridades.

Uma série de absurdos causou todos os problemas e os clubes ingleses pagaram um preço alto, ficando cinco anos longe dos torneios continentais. Às famílias italianas, perder tanta gente que foi a um jogo de futebol foi um castigo ainda mais elevado. O que era para ser mais um espetáculo do futebol, acabou se tornando uma das maiores carnificinas que esse esporte já viu. A lição ficou, que a gente não se esqueça dela nunca.

Em campo, deu Juventus. 1 a 0, gol de Platini.

Livro de cabeceira
Hoje, "O Jogo Bruto das Copas do Mundo", de Teixeira Heizer. O livro conta uma série de histórias narradas pelo jornalista, que viu de perto a maior parte dos Mundiais e relata as partidas mais renhidas de todas as Copas. Até porque não foram poucas, e muitas delas têm contextos bastante interessantes além do campo e bola.

Jogando por música
Com a Copa do Mundo chegando, vamos lembrar de uma instrumental. O tema do Mundial de 1998, com Dario G e seu "Carnaval de Paris".


Semana que vem, tem mais. Grande abraço!

Comentários nesse artigo

O Autor

Gabriel Andrezo é narrador, repórter e amante do esporte mais popular do mundo.

As informações deste site são constantemente atualizadas pelo FutRio. Ressaltamos que o FutRio reserva-se ao direito de alterar qualquer informação do site, valores e demais informações, sem aviso prévio.

© Copyright FutRio - Todos os direitos reservados.

desenvolvido por