• Bangu
  • Boavista
  • Bonsucesso
  • Botafogo
  • Cabofriense
  • Flamengo
  • Fluminense
  • Macaé
  • Madureira
  • Nova Iguaçu
  • Portuguesa
  • Resende
  • Vasco da Gama
  • Volta Redonda
  • America
  • Americano
  • Artsul
  • Audax Rio
  • Barcelona
  • Barra da Tijuca
  • Barra Mansa
  • Campos
  • Duque de Caxias
  • Friburguense
  • Gonçalense
  • Goytacaz
  • Itaboraí
  • Olaria
  • Queimados
  • Sampaio Corrêa
  • São Cristóvão
  • São Gonçalo EC
  • Serra Macaense
  • Serrano
  • Tigres do Brasil
  • Angra dos Reis
  • Araruama
  • Bela Vista
  • Ceres
  • Duquecaxiense
  • Futuro Bem Próximo
  • Juventus
  • Mesquita
  • Nova Cidade
  • Rio de Janeiro
  • Rio São Paulo
  • Santa Cruz
  • São Gonçalo FC
  • Campo Grande
  • Condor
  • Itaboraí Profute
  • Itaperuna
  • Miguel Couto
  • Paduano
  • Rubro
  • São José
  • Teresópolis
  • Tomazinho
  • União Central
  • União de Marechal
  • Na folia

Em 19/10/2016 às 10 h28

Dirigente lamenta queda, mas diz que Angra não desistiu de seguir na Série B

Ademir Silva, no entanto, acredita que Tubarão deverá mesmo jogar Série C


Autor: Redação FutRio / Fotos: Gabriel Farias (FutRio)

O ano do Angra dos Reis precisa ser dividido em duas partes. Dentro das quatro linhas, foi a temporada do quase, pois o Tubarão Azul ficou na terceira colocação de seus grupos na Taça Santos Dumont, Taça Corcovado e Copa Rio, batendo na trave no quesito classificação em todas as competições. Fora de campo, no entanto, o clube da Costa Verde perdeu 17 pontos na Série B do Campeonato Carioca por escalação irregular de jogadores e acabou rebaixado para a terceira divisão.
 
Ademir Silva, diretor de futebol do Angra dos Reis, falou sobre a temporada do clube e se atendo apenas ao que aconteceu dentro de campo, ficou feliz com a temporada do Tubarão Azul. Ele revelou que por falta de apoio no município, o clube teve que treinar na cidade do Rio de Janeiro, no bairro de Campo Grande.
 
- Nosso trabalho foi muito bom, mesmo com todas as dificuldades. Por falta de apoio, tivemos que treinar na cidade do Rio de Janeiro, em vários locais e afastado da nossa concentração. Foi um trabalho com muita humildade, mas com muita dedicação. Quero agradecer ao nosso treinador, Leandro Silva, ao nosso gestor, Roberto Gilvaz, que conseguiu montar um time competitivo nas duas competições: Série B e Copa Rio. Esperamos que em 2017 consigamos voltar para Angra dos Reis, para a nossa estrutura e contar com o apoio da prefeitura, pois precisamos dela para fazer um bom trabalho - relatou o dirigente.
 
Quando o assunto ficou por conta da derrota nos tribunais, Ademir Silva afirmou que o clube teve respaldo da Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro (FERJ) para escalar os jogadores Luiz Felippe e Vitor, e lamentou a decisão do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), que tirou 17 pontos do Tubarão, o rebaixando para a Série C do Campeonato Carioca.
 
- A punição foi uma decepção muito grande, pois não precisávamos de jogador irregular para fazermos uma boa campanha. O que fizemos foi com o consentimento da federação e temos o documento que prova isso. Não foi nada anormal, o regulamento tem uma brecha que permite a troca de atletas. Se soubéssemos que correríamos riscos de perder pontos, não colocaríamos os atletas para jogar. Cumprimos todas as exigências da federação para jogar a competição, não foi nada premeditado e nem errado - explicou.

image

Luta ainda não acabou
 
Apesar da derrota nos tribunais, Ademir Silva revelou que o clube ainda busca medidas cabíveis para reverter a decisão do STJD, mas admitiu que se o Angra dos Reis não conseguir uma reviravolta, vai disputar normalmente a Série C Estadual em 2017.
 
- Ainda não desistimos de lutar pelos nossos direitos. Estamos tentando buscar algo que nos permita continuar na Série B. Queremos que se faça justiça por tudo que fizemos dentro do campeonato. Cumprimos todos os nossos compromissos, sempre trabalhamos com honestidade e por isso vamos tentar reverter essa decisão. Se não conseguirmos, vamos disputar a terceira divisão com muito empenho. Esperamos que isso não aconteça mais com o Angra e nem com nenhum clube, pois isso é muito chato e danoso para qualquer instituição - ressaltou.
 
Planejamento em andamento

Durante está temporada, o Angra dos Reis teve a famosa mescla de jogadores experientes com jovens atletas. Porém, a Série C do Campeonato Carioca só permite que cinco jogadores acima do 23 anos estejam escritos nas relações dos jogos. Ademir Silva garantiu que isso não será problema para o clube formar um elenco qualificado.
 
- O regulamento da Série C só permite cinco atletas acima dos 23 anos, algo que pode nos atrapalhar, assim como vai atrapalhar qualquer clube. No nosso elenco, temos vários jogadores com idade igual ou inferior a 23 anos. Não vejo problemas para manter um time forte para que já em 2018 possamos estar na segunda divisão, de onde não deveríamos ter saído por tudo que fizemos dentro de campo novamente - disse.
 
O rebaixamento para a terceira divisão do Rio de Janeiro decretada nos tribunais significa o fim de um período de 14 anos seguidos do Angra dos Reis na Série B.

Tags: Angra dos Reis, Ademir Silva

Outras Notícias

Encontre-nos no Facebook






As informações deste site são constantemente atualizadas pelo FutRio. Ressaltamos que o FutRio reserva-se ao direito de alterar qualquer informação do site, valores e demais informações, sem aviso prévio.

© Copyright FutRio - Todos os direitos reservados.

desenvolvido por