Em 11/07/2017 às 19 h08

Roberto revela mágoa por saída do Bangu pelo pouco tempo de trabalho na equipe

Técnico foi demitido do Alvirrubro após eliminação na Série D do Brasileiro


Autor: Caio Figueroa / Foto: Arquivo pessoal

Ser demitido nunca é fácil. É uma situação que abala a vida de qualquer profissional, até mesmo os mais acostumados a isso. Principalmente no Brasil, os técnicos de futebol vivem numa eterna incerteza, sem saberem se ainda estarão no clube que defendem no dia seguinte a uma derrota. O treinador Roberto Fernandes assumiu o Bangu no começo do ano, na Taça Guanabara, primeiro turno do Campeonato Carioca. Com uma temporada cheia como há muito não se via em Moça Bonita, o Alvirrubro ainda tinha pela frente a Série D do Brasileiro e a Copa Rio. 

O planejamento traçado pela diretoria para Roberto Fernandes, segundo o próprio, ia até o fim do Carioca de 2018, mas o técnico não resistiu à eliminação precoce, ainda na fase de grupos, da Quarta Divisão Nacional e foi desligado do Bangu.  Pela primeira vez após o episódio, Roberto Fernandes falou sobre.

- Agradeço pela oportunidade de trabalhar pela primeira vez no Rio e as portas que foram abertas graças ao Bangu e à parceria que estava junto ao projeto. Mas ao mesmo tempo lamento o imediatismo que é a realidade do futebol no Brasil, já que o projeto era até o final do Carioca 2018. Claro que a eliminação tem seu peso, mas o trabalho vinha sendo realizado de forma correta. Infelizmente, o treinador, na vitória, é analisado pelo trabalho; na derrota, pelo resultado - disse Roberto Fernandes, sem clube no momento. O técnico continuou citando o que, segundo ele, deu errado no Campeonato Brasileiro.

- Tivemos alguns equívocos na montagem do elenco. Tiveram também o caso do Raphael Augusto, que ficou de fora de 50% dos jogos por causa de regularização, e a lesão do Guilherme. Mas, principalmente, por ter sido um grupo formado nas vésperas da competição - sentenciou.

Roberto Fernandes concluiu opinando sobre o futuro do Bangu para esta e a temporada seguinte. Segundo o ex-técnico alvirrubro, conquistar a Copa Rio é fundamental para as pretenções do clube de Moça Bonita em 2018.

- Resta agora torcer para que o Bangu possa vencer a Copa Rio, já que ficou com uma base competitiva para o torneio. Só assim eu acredito em uma evolução do clube. Enquanto o clube não tiver um calendário onde possa fazer um planejamento anual, dificilmente voltará a ser competitivo nacionalmente e com isso recuperar o espaço perdido no estado e país - argumentou.

Tags: Bangu

Outras Notícias

Encontre-nos no Facebook






As informações deste site são constantemente atualizadas pelo FutRio. Ressaltamos que o FutRio reserva-se ao direito de alterar qualquer informação do site, valores e demais informações, sem aviso prévio.

© Copyright FutRio - Todos os direitos reservados.

desenvolvido por