Em 09/09/2017 às 17 h40

Em final histórica, America bate Itaboraí nos pênaltis e é campeão da Corcovado

Jogo teve quatro pênaltis em 90 minutos, decisão após 16 penalidades e confusão


Autor: Gabriel Andrezo / Fotos: Gabriel Andrezo (FutRio)

Foi histórico, de todas as maneiras. Sob um clima de forte tensão e emoção no Estádio Elcyr Resende de Mendonça, em Saquarema, o America se manteve vivo na luta pelo acesso à Série A do Campeonato Carioca. Neste sábado (9), o Mecão venceu o Itaboraí em um jogo que teve quase de tudo: quatro pênaltis, um deles aos 48 do segundo tempo, decisão na marca da cal após 16 chutes, confusão e festa. Depois de 2 a 2 no tempo normal, os rubros venceram por 8 a 7 nos pênaltis, conquistaram o título da Taça Corcovado, o segundo turno da Série B1, e enfrentarão o Audax Rio no jogo do acesso, no próximo dia 16.

LEIA TAMBÉM

A partida teve lances dramáticos em campo e fora dele. Antes do jogo, um ônibus de americanos foi apedrejado na chegada ao estádio, profissionais de imprensa foram hostilizados por torcedores do Itaboraí e até bombas e objetos foram atirados na direção do campo. Se os americanos comemoraram bastante, os atletas da ADI cercaram a arbitragem após o fim do tempo normal e das penalidades, já que o time rubro teve três pênaltis marcados a seu favor.

Primeiro tempo com "gangorra de emoções"

O jogo começou sem grandes emoções. A primeira chance foi um chute de Alan Nascimento, do America, para fora. O Itaboraí respondeu quando Edu driblou Ânderson Künzel e chutou, mas Felipe pegou no meio do gol. A partida não tinha um grande nível técnico, mas era corrida. O America perdeu o meia Nivaldo, lesionado, dando lugar a Juninho Bolt. O atacante entrou, mas quase foi expulso com poucos minutos em campo. Em seu primeiro lance, levou cartão amarelo e contou com a benevolência de João Batista de Arruda na infração seguinte.

image

Porém, o atacante tinha repertório. Aos 38, ele girou e chutou fraco, para defesa simples de Julio. Pouco depois, outra vez o goleiro da Águia trabalhou, em cruzamento de Belarmino que foi espalmado para fora da área. Nos contra-ataques, o Itaboraí tentava chegar. No finalzinho da primeira etapa, Edu foi lançado na esquerda e dividiu com Ânderson Künzel. Quando todos pensavam que o juiz daria escanteio, foi marcado o pênalti. Apesar de todas as reclamações rubras, Edu bateu e fez 1 a 0.

Parecia que o primeiro tempo ficaria nisso mesmo, mas o lance seguinte foi de ataque americano. Com grande rapidez, Robinho invadiu a área e foi derrubado por Fabão. Como já tinha um cartão amarelo, o zagueiro levou o segundo e foi expulso. Na cobrança, Léo Rocha. O Mago bateu, mas Julio defendeu. No rebote, o camisa 10 não titubeou para empatar e, com tranquilidade, deslocou o arqueiro para marcar 1 a 1.

Itaboraí luta, desempata, mas America respira

Para o segundo tempo, o America voltou com um a mais e o Itaboraí se fechou. Porém, as dificuldades em penetrar na área rival eram grandes. A primeira chance veio aos sete minutos: Juninho Bolt cruzou da esquerda e Robinho, de peixinho, jogou para fora. Novamente, a Águia ficou mais atrás e partiu para os contragolpes, mas as oportuidades não apareciam. O Itaboraí reclamou de pênalti em lance de Bruno Santos, logo no começo, mas João Batista de Arruda ignorou. Era um barril de pólvora prestes a explodir.

Depois do tempo técnico, o America atacou mais, mas esbarrou nos próprios erros. Léo Rocha e Robinho perderam oportunidades em finalizações de longe e de cabeça, respectivamente. Valente, o Itaboraí soube se lançar à frente e marcou o gol do desempate aos 27 minutos. Léo Franco bateu falta da direita, Júnior Pagode raspou de cabeça e Bruno Santos cabeceou no ângulo; Felipe ainda defendeu, mas a bola entrou. Loucura nas arquibancadas do Elcyr Rezende.

image

A partir daí, o America foi todo para cima. O Itaboraí gastou o tempo e fez as três substituições. Os rubros tiveram a chance de empatar com Allan, que aproveitou rebote da defesa em chute para fora, que passou perto do ângulo. Cinco minutos depois, foi Léo Rocha quem tentou a finalização, mas apenas pelo lado. Mas a maior emoção (e tensão) ainda estava por vir. Aos 40 minutos, Philip entrou pela esquerda e chutou; a bola bateu em Raphael Neuhaus e o juiz deu toque de mão. A reclamação foi total, agora da Águia.

Na cobrança de pênalti, Léo Rocha tentaria marcar o gol de empate, mas Julio defendeu outra vez. No rebote, Philip chutou de novo e Julio voltou a defender espetacularmente, enquanto o goleiro voltou a bloquear finalização de Robinho. Se o Itaboraí tentava se segurar heroicamente, o America não desistiu. Nos últimos instantes, Philip entrou de novo do lado esquerdo e caiu após passar por Rafael Andrade. Pênalti, de novo. Mais reclamação e desespero dos itaboraienses, dentro e fora de campo. Agora, Allan bateria. Na bola do "tudo ou nada", ele deslocou Julio e fez 2 a 2. Uma final de infarto.

Clima tenso nas arquibancadas e vitória rubra

Quando o apito final soou, o lado vermelho das arquibancadas era só festa, mas o lado azul virou um caos. Torcedores se revoltaram, atiraram objetos sobre profissionais de imprensa na beira do campo e nas cabines de rádio e TV. A Polícia Militar precisou intervir para evitar que jogadores agredissem a arbitragem, após invadirem o gramado. A situação era de tensão evidente, mas ainda havia os pênaltis pela frente.

Nas cobranças, foram nada menos que 16 chutes. O America converteu oito bolas seguidas; o Itaboraí, sete. Na última cobrança, Raphael Neuhaus acertou a trave. O título era rubro, mas a comemoração contrastava com a apreensão, já que uma invasão de campo fez João Batista de Arruda ficar totalmente cercado; ele precisou sair do gramado sob escolta policial, ao som de bombas nas arquibancadas. A festa e o alívio foram todos do America, campeão da Corcovado e ainda sonhando com o acesso, após o jogo mais tenso da temporada de 2017.


A partida
Itaboraí 2x2 America (pênaltis: 7x8) - Taça Corcovado, final - 9/9/2017 às 15h

Estádio Elcyr Rezende de Mendonça (Saquarema - RJ)
Árbitro: João Batista de Arruda
Assistentes: Wagner Almeida Santos e Jackson Lourenço Massara dos Santos

Itaboraí: Julio; Fabão, Raphael Neuhaus e Rodrigão; Crispim, Peterson, Junior Pagode (William Chrispim 37'/2ºT), Leo Franco e Valdinei (Rafael Andrade 39'/2ºT); Bruno Santos (Neves 34'/2ºT) e Edu. Técnico: Chiquinho Lima.

America: Felipe; Belarmino, Pessanha, Raphael Azevedo e Tiago Corrêa (Welber 23'/2ºT); Ânderson Künzel, Alan Nascimento, Nivaldo (Juninho Bolt 31'/1ºT, depois Philip 28'/2ºT) e Léo Rocha; Robinho e Allan. Técnico: Lucho Nizzo.

Cartões amarelos: Fabão, Peterson, Junior Pagode e Bruno Santos (ADI); Tiago Corrêa, Allan e Juninho Bolt (AME)

Cartão vermelho: Fabão (ADI), 48'/1ºT

Gols: Edu (pênalti) 47'/1T (1-0); Léo Rocha 49'/1ºT (1-1); Bruno Santos 27'/2ºT (2-1); Allan (pênalti) 47'/2°T (2-2)

Renda: R$ 21.600,00
Público: 999 presentes (900 pagantes)

Tags: Itaboraí, America

Outras Notícias

Encontre-nos no Facebook






As informações deste site são constantemente atualizadas pelo FutRio. Ressaltamos que o FutRio reserva-se ao direito de alterar qualquer informação do site, valores e demais informações, sem aviso prévio.

© Copyright FutRio - Todos os direitos reservados.

desenvolvido por