Em 28/07/2018 às 22 h07

Guia da Quartona 2018: detalhes, análises e fichas de todos os 18 clubes

Material completo sobre a Série C traz informações sobre todos os times do torneio


Autor: Redação FutRio / Foto: Marcos Faria

Mais um ano, mais uma edição do Campeonato Carioca da Quarta Divisão. A Série C do Estadual começa neste domingo (29) e, contrariando todas as expectativas, com a maioria de seus jogos acontecendo para valer. Apesar dos já conhecidos problemas financeiros que resultam muitas vezes em WOs, a Quartona também promete reservar bom futebol com muitos de seus clubes, especialmente porque, em 2018, serão apenas duas e não mais quatro vagas para o acesso. Na véspera desta grande competição, o FutRio.net inova mais uma vez e apresenta a mais completa publicação disponível sobre o campeonato: o Guia FutRio da Quartona 2018, com tudo sobre os 18 clubes participantes.

image

Informações, contratações, análises e uma ficha detalhada de cada um dos clubes. Não foi fácil garimpar os pormenores de alguns clubes, mas a equipe do FutRio tornou a se superar e não deixou de trazer nenhum detalhe sobre um campeonato que entra no segundo ano consecutivo, tentando pegar o embalo da aparente subida da Segundona e da Terceirona. Tudo graças a um trabalho incansável e duradouro dos repórteres Caio Almeida, Claudio Burger, Gabriel Andrezo, Gabriel Farias, Jhonatan Jeferson, Léo Pinheiro, Renan Mafra e Vitor Costa.

Ao todo, serão seis os clubes estreantes, o que representa um terço do campeonato. O que não impede que camisas famosas e de sucesso em divisões superiores, como Campo Grande, Canto do Rio, Cardoso Moreira e Paduano, por exemplo, tenham a chance de sobressair. Se o futebol e as grandes histórias estão garantidas, os problemas não ficam de fora. A primeira rodada já irá reservar pelo menos WOs por falta de inscrição de jogadores e mais um está garantido também na segunda rodada. Em 2017, isso foi um problema: 41 jogos terminaram sem sequer começar.

A Quartona que se inicia será o encontro definitivo entre clubes de camisa e as novas forças que vêm do amadorismo. O que sairá de toda esta mistura só será conhecido em outubro, quando os dois finalistas (já promovidos à próxima Terceirona) lutarão pelo título estadual, na décima-primeira vez em que clubes se juntam para atuar no quarto nível do Estadual do Rio. Abaixo, um material feito com todo o carinho para informar melhor tudo que irá se passar nesta Quartona. Um documento para a História. Boa leitura!

image

OS GRUPOS E O REGULAMENTO

Grupo A: Ação, Búzios, Ceres, Itaboraí Profute e Teresópolis
Grupo B: Tomazinho, Mageense, Independente e EC Resende
Grupo C: Arturzinho, Campo Grande, Canto do Rio, CAAC Brasil e Cardoso Moreira
Grupo D: Paduano, Brasileirinho, Atlético Carioca e São José

As equipes irão se enfrentar dentro de seus grupos em dois turnos. Os dois melhores de cada chave se classificam para as quartas de final. A partir daí, adota-se o sistema de "mata-mata", com partidas de ida e volta. Empate na soma dos resultados leva aos pênaltis e gols fora de casa não contam como critério de desempate.

image

OS CAMPEÕES

1991: Barreira
1992: Anchieta
1993: Apollo
1994: Cardoso Moreira
1995: Tio Sam
1996: Vera Cruz
1997: Cosmos
1998: Anchieta
2000: Casimiro de Abreu
2017: Pérolas Negras

NOTA: Entre os anos de 1991 e 1995, a competição era chamada oficialmente de Terceira Divisão, já que o Estadual de segundo nível era chamado de "Grupo B da Primeira Divisão" ou "Módulo Intermediário", o que afetava a nomenclatura das divisões inferiores. Entre 1996 e 1998, o campeonato era chamado de Segunda Divisão, já que a Segundona de fato tinha se tornado o "Módulo Especial" e a Terceirona, "Módulo Intermediário".

image

AÇÃO

Fundação: 26/08/2008
Melhor campanha: estreante
Posição em 2017: não disputou

Análise: Depois de alguns anos voltado ao amadorismo, o Ação decidiu dar um passo à frente e alcançar o status profissional. A Série C deste ano será a primeira oportunidade para o jovem clube, que sequer tem dez anos de existência. Nos torneios amadores, a equipe se firmou como talentosa e capaz de disputar títulos de base. Agora, são profissionais experientes os que foram procurados para reforçar a comissão técnica e o elenco, o que pode fazê-los surpreender de forma positiva em 2018.

Destaque: DE OLIVEIRA - É um dos atletas mais experientes do elenco, tendo até passagens pelo futebol boliviano. No Rio, rodou recentemente por diversos clubes de divisões inferiores e tenta dar a volta por cima após cair com o São Cristóvão para a Terceirona, em 2017. Apesar de ser um zagueiro, tem atuado no meio-campo durante a pré-temporada e é uma liderança importante dentro da equipe.

Fique de olho: MICHEL - Um dos únicos autênticos camisas 10 do campeonato. Autêntico centralizador e cadenciador de jogo, também se destaca pela força física e imposição. O estilo aguerrido chama atenção, bem como passes bem executados e chutes de média distância que levam perigo. Tem 34 anos, mas irá jogar sua primeira Quartona.

Revelação: PAULO VICTOR - Zagueiro de apenas 19 anos, que vem chamando atenção da comissão técnica durante os treinamentos. Buscando seu lugar ao sol na primeira temporada como profissional, conquistou a titularidade e terá o que aprender com o experiente Felipe Reis, que um dia também já foi "zagueiro-prodígio" nos tempos de Botafogo.

O técnico: FLORACI PEREIRA - Irreverente, sincero e exigente. As características deste treinador o tornam um dos mais emblemáticos da competição, mas seu trabalho também é digno de muito destaque. Comandou clubes como Ceres e Duquecaxiense, além de ter passado pelas Seleções Brasileiras de base. Aos 57 anos, um acesso por um time estreante seria um feito e tanto para seu currículo.

Time-base: Thales; Juan, Paulo Victor, Felipe Reis e Luan; Jean, De Oliveira, Welington e Michel; João Lucas e Marcus Vinicius.

image

ARTURZINHO

Fundação: 15/03/2000
Melhor campanha: 21º (terceira divisão, 2012)
Posição em 2017: não disputou

Análise: Certamente, um dos clubes mais difíceis de se prever para esta Quartona. Disputando apenas sua segunda temporada como profissional (a primeira foi há seis anos), o clube já vem treinando há algumas semanas, mas montou um elenco que talvez seja o mais jovem do campeonato. A busca foi por um grupo sedento por vitórias e por espaço em clubes maiores, embora seja necessário também administrar a frustração após a primeira derrota por WO, já confirmada antes mesmo do começo do certame.

Destaque: TIAGO CAJUEIRO - Atacante alto e franzino, tem facilidade para driblar os adversários e encontrar espaços. Aos 20 anos, é um dos jogadores sobre os quais vale ficar atento neste jovem time. Se não procura tanto jogadas aéreas, é na habilidade e nas jogadas individuais que estão seus maiores talentos.

Fique de olho: DONATO - Meio-campista forte fisicamente e que pode atuar em mais de uma posição no setor. A qualidade em seu passe também é completada pela agilidade e rapidez de pensamento. Na equipe, é visto como um dos nomes com mais futuro para competições profissionais e já vem atuando como titular desde o começo dos treinamentos.

Revelação: DOUGLAS - Jovem meia de apenas 19 anos, também atua como lateral-direito. Chegou para fazer parte do plantel de juniores, mas já vem ganhando oportunidades no time de cima. As infiltrações pelo lado do campo são sua arma e a agilidade para tomar decisões pode ser útil para a equipe.

O técnico: ARTURZINHO - Um dos maiores ídolos do Bangu, com passagens de destaque por tantos clubes cariocas, o Rei Artur empresta seu nome ao clube que fundou, há 18 anos. Agora, decidiu pela primeira vez treinar a equipe em nível profissional. Seu currículo, sem dúvida, é disparado o melhor do campeonato, com um título brasileiro da Série C e dois da Copa do Nordeste. Também ganhou uma Segundona do Rio, pelo America, em 2015.

Time-base: Diego; Renatinho, Lucas, Lucena e Alex; Henrique, Marcos Nunes, Donato e Rafael; Renan Love e Tiago Cajueiro.

image

ATLÉTICO CARIOCA

Fundação: 21/12/2012
Melhor campanha: estreante
Posição em 2017: não disputou

Análise: Iniciando sua trajetória como equipe profissional, o Atlético Carioca tentará surpreender dentro de campo como fez fora dele, com a contratação do veteraníssimo Túlio Maravilha. A equipe, mais uma da cidade de São Gonçalo, traz as cores preta e branca, devido ao fanatismo de seu presidente, Maicon Vilela, pelo Botafogo. O acesso é o grande objetivo da equipe de São Gonçalo em sua primeira temporada, com um time formado por jogadores jovens. mas sem muita experiência em torneios profissionais.

Destaque: TÚLIO - O experiente atacante de 49 anos volta ao futebol profissional para ajudar a novata equipe na busca pelo acesso à Série B2 do Carioca. Túlio promete gols para a competição e o seu primeiro já foi batizado de "Gol Superação". Ao soar o apito do primeiro jogo, com o atacante em campo, ele terá quebrado um recorde: o mais velho jogador a ter atuado no futebol do Rio de Janeiro.

Fique de olho: GEOVANE - Jovem meia, de 22 anos, contratado junto ao Mesquita. É a esperança na criação de jogadas para municiar o artilheiro Túlio durante a competição. Rápido nas jogadas, é um bom criador e serve como uma das referências técnicas da equipe.

Revelação: LUCAS SILVA - O goleiro foi citado até pelo presidente do clube como sendo um dos destaques da equipe, pela qual fará sua estreia como profissional. Jovem e disposto a mostrar seu valor, entra na competição com grande respaldo e, de quebra, a vaga na equipe titular.

O técnico: JORGE NEI - Acompanhando o trabalho do clube há bastante tempo, terá a missão de levar o Atlético Carioca rumo à Terceirona logo em sua primeira temporada. Para ajudar, o treinador pôde escolher a dedo cada peça de sua equipe, durante toda a preparação, o que garante que ele tenha total controle sobre as peças e já as conheça muito bem.

Time-base: Lucas Silva; Wesley, Sorriso, Pablo e Luiz; Zé, Geovane, Galvane e João; Bello e Túlio.

image

BRASILEIRINHO

Fundação: 12/07/2007
Melhor campanha: estreante
Posição em 2017: não disputou

Análise: É outro clube que fará sua estreia no nível profissional, oriundo do amadorismo. Na realidade, a equipe chegou a entrar na tabela do torneio de 2017, mas não fez nenhuma partida porque não pôde inscrever jogadores e acabou suspensa. Desta vez, os problemas foram contornados e o time montou um elenco baseado em diversos jogadores com os quais já contava no ano passado. Não se tratam de nomes conhecidos no futebol do Rio, mas um time que promete ser aguerrido para desbancar os rivais em um grupo que se projeta equilibrado.

Destaque: VINNICIUS - Embora esteja prestes a estrear no profissionalismo, o atacante já teve passagens por Duquecaxiense e Atlético Rio, mas não tinha conseguido a primeira oportunidade em uma equipe principal. No Brasileirinho, é uma das esperanças de gol e conta com o apoio dos companheiros para tentar balançar as redes logo cedo. Está com 25 anos de idade.

Fique de olho: MIKE - É um meia que se destaca pela velocidade e o bom drible. Aos 21 anos, pode ser uma boa opção para municiar o ataque por suas características de jogo. Por preferir as jogadas individuais e a finta sobre os adversários, pode muitas vezes ele mesmo tomar a iniciativa de concluir, embora ainda não seja um atacante de fato.

Revelação: MAXSUEL - Trabalhou com a atual comissão técnica nos tempos de São Cristóvão. Na base cadete, ficou conhecido pelos gols e predisposição à movimentação na grande área. Embora não tenha a vaga de titular garantida, o jovem de 20 anos está preparado para mostrar suas credenciais e assumir o posto assim que tiver a chance.

O técnico: WILSON DINIZ - Conhece bem o grupo que tem em mãos e sabe que pode contar com as individualidades para chegar longe na competição. Viveu a frustração em 2017, quando não pôde estrear com o time por problemas de inscrição. Ainda assim, teve tempo para trabalhar com os atletas que ficaram e montar um novo grupo, implantando sua metodologia. Conhece bem o trabalho com jovens, uma vez que já treinou America, Gonçalense e São Cristóvão, sempre na base.

Time-base: Yan; Gabriel, Carlos Vinícius, Moisés e Isaías; Patrick, Thiaguinho, Jorge Ivan e Mike; Vinnicius e Jackson.

image

BÚZIOS

Fundação:
15/05/1971
Melhor campanha: 7º (terceira divisão, 2011 e 2015)
Posição em 2017: não disputou

Análise: De todos os 18 clubes que integram este guia, foi certamente o mais complicado. Da parte do clube, um silêncio sepulcral por semanas. A única informação que se sabia era de que a equipe já vem treinando há quase dois meses para a Quartona. Foi preciso ir a fundo para conhecer os nomes que projetam o elenco, a maioria deles rodados por times da região. Tanto mistério promete confundir também a cabeça dos clubes que os enfrentarem, mas a equipe terá de mostrar bom futebol para que a estratégia dê certo.

Destaque: MAYKON - É um elástico goleiro que já foi do Rubro Social e rodado em competições regionais. No profissionalismo, porém, esta será a primeira grande oportunidade de obter sequência em um torneio oficial. Aos 28 anos, já esteve no futebol do Sul do país e é um dos nomes mais experientes do jovem grupo buziano.

Fique de olho: RICHARDSON - O atacante, que também pode jogar um pouco mais recuado, já defendeu a Cabofriense em suas categorias de base. Aos 23 anos, é um dos nomes a se observar na equipe por conta de sua força física e capacidade de carregar a bola, além das finalizações precisas. É ainda o filho do técnico Róbson Alcântara.

Revelação: YURY - Aos 19 anos, surge como um dos principais valores do clube em sua volta ao profissionalismo. Jogador que tem na velocidade seu maior forte, tentará aproveitar a primeira chance como profissional para destoar em um grupo jovem e obter o sucesso para chamar atenção de outras equipes, como fez Lucas Massaro, destaque do clube em 2015.

O técnico: ROBSON ALCÂNTARA - Antigo atacante do Botafogo, nos anos 90, já vem construindo uma carreira de treinador há alguns anos. Sua primeira chance foi com a Esprof, em 2015. Agora, comanda os trabalhos de um time formado basicamente por atletas da própria Região dos Lagos e tenta incutir neles o pensamento de vitória e sucesso em competições profissionais.

Time-base: Maykon; Jean, Felipe, Marcos e Yury; Rômulo, Leonardo, Matheus e Willian; Richardson e Lucas.

image

CAAC BRASIL

Fundação: 22/12/2009
Melhor campanha: estreante
Posição em 2017: não disputou

Análise: O Centro Administrativo Apologético Cristão do Brasil (daí a sigla CAAC) é um dos estreantes nesta edição da Série C. Com o slogan "Cristo é a única esperança", surgiu em 2009 como um projeto esportivo relacionado à instituições religiosas do Rio de Janeiro. Desde então, vem participando das competições amadoras da Federação de Futebol do Rio de Janeiro (FFERJ). Em 2017, obteve a profissionalização e passou a se estruturar para a Quartona. Vive o desafio de surpreender logo no ano de estreia.

Destaque: JUNIOR - Centroavante de apenas 17 anos, que tem no seu forte o trabalho de pivô. É o chamado "brigador". Mesmo sendo muito jovem, tem boa estatura e porte físico e encara os zagueiros com personalidade, realizando função importante para aproximação dos meias.

Fique de olho: JEFERSON - Mais um jogador de apenas 17 anos, mas que atuará numa competição profissional respaldado por muita confiança da comissão técnica. O goleiro é tido como completo: tem 1,86m de altura, domina os fundamentos da posição e joga bem com os pés. Funciona como uma espécie de líbero entre os defensores.

Revelação: WEVERTON - Aos 18 anos, é uma das apostas para ser a revelação da Quartona, já que vem da transição entre futsal e campo. É um meia-atacante de drible curto e arremate certeiro. O talento acima da média faz do jogador uma das joias a serem lapidadas para um futuro em grandes centros.

O técnico: ILMAR DE ALMEIDA - Ex-jogador e treinador por formação, tem 49 anos. Se juntou ao CAAC em 2014. É um dos responsáveis pela escalada do clube, participando com sucesso do Campeonato Amador da Capital. Aposta em forte trabalho na parte mental para fazer um elenco jovem deslanchar no primeiro desafio profissional, em meio a adversários de tradição.

Time-base: Jeferson; Willon, Michael, Rodrigo e Joni; Edimarcio, Denner, João Pedro e Weverton; Lucas Santos e Junior.

image

CAMPO GRANDE

Fundação: 13/06/1940 
Melhor campanha: 5° (primeira divisão, 1991)
Posição em 2017: 11º

Análise: Em um dos momentos mais difíceis de sua história, o Campusca tenta o acesso para tentar retornar aos tempos de glórias, como quando foi campeão da Taça de Prata de 1982, em período muito diferente do atual. Diferentemente do ano passado, o Campo Grande poderá atuar no seu histórico estádio, o Ítalo del Cima. O Galo da Zona Oeste contratou o técnico João Santos, antigo jogador do clube, para comandar uma equipe entrosada e que joga junto há várias temporadas.

Destaque: FÁBIO SACI - Artilheiro da Terceirona do ano passado com 13 gols, defendendo o Angra dos Reis, o atacante disputou o Campeonato Brasiliense no início da temporada, defendendo o Gama (DF), aonde jogou ao lado do pentacampeão mundial Lúcio. Chegou a retornar ao Angra, mas não acertou as bases salariais e fechou com o Campusca, clube próximo de onde mora. A expectativa é por muitos gols em 2018.

Fique de olho: DIEGO - Lateral-direito forte fisicamente e com chegada de qualidade no ataque. O jogador mais uma vez vai defender o Campusca: no ano passado, chegou a atuar no ataque, mas deverá retornar à sua posição de origem. Se sobressai pelo aproveitamento em jogadas de bola parada e por seu chute forte de pé direito.

Revelação: JEAN - Meia de 20 anos, o atleta é muito veloz e agudo, além de ser muito habilidoso. Apesar de jogar ofensivamente, sabe ajudar na marcação. Apesar de não ser sempre titular, acaba sendo utilizado pelo treinador com frequência e tem boas chances de conquistar essa vaga para si no futuro.

O técnico: JOÃO SANTOS - Fez um bom trabalho no Juventus na temporada passada. Ele levou o Touro à semifinal do primeiro turno da Série B2, mas acabou eliminado pelo Mesquita, que foi o campeão. Na segunda metade da competição, deixou o cargo. Ele chegou a negociar com o Riostrense ainda naquela Quartona, mas não fechou. Sua identificação com o Campusca, dos tempos de atleta, promete ajudar.

Time-base: Matheus; Diego, Nenzinho, Ivo Rincón e Michael; Cristiano, Gustavo, Ricardinho e Yan; Jorge Alan e Fábio Saci.

image

CANTO DO RIO

Fundação: 14/11/1913
Melhor campanha: 6º (primeira divisão, 1944)
Posição em 2017: não disputou

Análise: Depois de uma ausência de oito anos do futebol profissional e muitos retornos frustrados, surge como um dos principais favoritos ao acesso, devido à sua tradição e força mostrada durante a pré-temporada. Isso, além das contratações: nomes de peso como Marcinho Pitbull e William Amendoim reforçam o elenco do técnico Marquinhos Pereira. Será o representante de Niterói no campeonato e chega com moral após meses de muito trabalho duro e concentrado.

Destaque: WILLIAN AMENDOIM - Revelado com grande destaque no Flamengo, o meia-atacante surge como grande responsável pela criação de jogadas da equipe niteroiense. Leve e de drible fácil, Amendoim volta ao futebol carioca após passagem pelo Bolamense (DF). No Leste Fluminense, já defendeu o Gonçalense, o que lhe dá alguma experiência em divisões inferiores e em jogar na própria região.

Fique de olho: THIAGO TRINDADE - É um atacante experiente, com passagens e gols por Goytacaz e São Gonçalo EC. Neste último, foi inclusive campeão da Terceirona em 2016. Terá a responsabilidade de carregar a camisa 9 e a braçadeira de capitão da equipe, aos 31 anos e com uma trajetória de respeito nas costas. Outro forte candidato à artilharia da Quartona.

Revelação: CAIO - Zagueiro de 18 anos, foi revelado pelo próprio clube. Não demorou muito para que ganhasse a confiança da comissão técnica cantorriense e também diretoria. Foi titular durante toda a pré-temporada e mostrou frieza e força de veteranos para chamar a responsabilidade e provar que a vaga no time está em boas mãos.

O técnico: MARQUINHOS PEREIRA - Responsável por equipes do futsal e das categorias de base do clube há anos, foi escolhido para a função devido à sua identificação com a instituição e com a cidade de Niterói, tendo total liberdade para escolher seus comandados na Série C. Como profissional, esteve treinando pela última vez em 2013, mas já vem ao lado do grupo alvianil desde o começo do ano.

Time-base: Higor; Walter, Diegão, Caio e Dudu; Marcinho Pitbull, Robinho, William Amendoim e Talibã; Caio Fábio e Thiago Trindade.

image

CARDOSO MOREIRA

Fundação: 19/03/1935
Melhor campanha: 16º (primeira divisão, 2008)
Posição em 2017: não disputou

Análise: Retorna ao futebol profissional com um elenco de boas opções em comparação aos rivais da Série C. Peças como o zagueiro Laerte, o meia Jessé e o atacante Romário possuem nível técnico para fazer a diferença em uma Quartona. Jovens locais que se destacaram na Super Copa Noroeste também integram o elenco. Combinação que pode fazer a equipe reviver os grandes momentos de sua história, quando chegou até à elite do futebol estadual.

Destaque: ROMÁRIO - Atacante de 26 anos que busca recomeçar na carreira, após defender camisas importantes como as de Vasco e América (MG). Esteve em 2017 no Americano, participando das campanhas na Segundona Estadual e Copa Rio, atuando em bom nível. Se estiver em forma positiva, tem tudo para ser um dos principais nomes da Série C.

Fique de olho: JESSÉ - Meia com experiência robusta no futebol do Rio de Janeiro, tendo atuado por Paduano, Sampaio Corrêa, Campos e Itaboraí. Aos 27 anos, tenta reviver seus melhores momentos, quando se destacou nas divisões intermediárias do Estado. Habilidoso e de boa visão de jogo, pode formar uma dupla infernal com Romário.

Revelação: DANILO PITBULL - Jovem natural da cidade de Cardoso Moreira e que possui grande confiança da comissão técnica e diretoria. Faz parte do projeto do clube em valorizar os talentos locais. Mesmo sendo um dos mais novos do plantel, deve contar com bom espaço na equipe principal durante a Série C.

O técnico: NENÉM - Ex-jogador do próprio Cardoso Moreira, clube pelo qual disputou a elite do Campeonato Carioca em 2008. Também vestiu as camisas de Botafogo e Palmeiras (SP). Neném dá os primeiros passos como treinador aos 43 anos de idade: chegou na reta final de preparação com a missão de dar mais peso à beira do campo e servir como referência aos atletas.

Time-base: Gabriel; Macuco, Laerte, Gerson e Macaé; Danilo Pitbull, Ronalty, Jessé e Dieguinho; Jefinho e Romário.

image

CERES

Fundação: 10/07/1933
Melhor campanha: 2º (segunda divisão, 1997)
Posição em 2017: 11º (B2)

Análise: O Celeste tenta se reencontrar após dois rebaixamentos seguidos, que levaram o clube da Segunda para a Quarta Divisão. Como sempre, aposta em velhos conhecidos; o principal deles é o centroavante Cláudio Pagodinho, que também tenta voltar ao auge vivido em meados da atual década, pelo próprio time. Ao contrário dos últimos anos, o Ceres poderá utilizar o Estádio João Francisco, na Rua da Chita, o que pode ser um ponto extra de fortalecimento.

Destaque: CLÁUDIO PAGODINHO - Retorna ao clube onde se estabeleceu como fazedor de gols no futebol do Rio de Janeiro. Seu período mágico entre 2011 e 2013, quando se tornou principal referência do Alviceleste o fez virar objeto de cobiça por parte de outros clubes, por onde rodou desde então, mas sem o mesmo brilho. Em casa, os bons fluidos da Rua da Chita poderão ajudá-lo.

Fique de olho: BETINHO - Meio-campista cadenciador e inteligente, que possui larga experiência no futebol do Rio de Janeiro. As passagens por Resende, Bangu, America, entre outros clubes, tornam este veterano um dos jogadores mais rodados e capacitados da Série C, o que pode pesar nos momentos mais decisivos da competição. Está com 37 anos.

Revelação: PATRICK LUIZ - Atacante de 19 anos que conta com a confiança da comissão e da diretoria para deslanchar. Num elenco que possui jogadores de boa quilometragem e que conhecem bem as divisões intermediárias do Rio, pode encontrar o ambiente perfeito para se desenvolver e apresentar os resultados dentro de campo.

O técnico: SÉRGIO MAGALHÃES - Experiente treinador de 66 anos, que conhece muito bem o futebol do Rio. Acumula passagens anteriores pelo próprio Ceres, além de Barcelona, Artsul e Angra dos Reis, por exemplo. Em 2017, trabalhou de maneira meteórica na Quartona, no comando do Teresópolis, onde deu declarações fortes, alegando falta de estrutura por parte da equipe. Agora, tem nova chance de emplacar um bom trabalho na Série C, à frente de uma das camisas mais pesadas da competição.

Time-base: Gabriel; Marcelo, Michel, Lucas Mancuso e Fábio Esquerdinha; Thiago Sapo, Ezequiel, Betinho e Pingo; Robinho e Cláudio Pagodinho.

image

EC RESENDE

Fundação: 02/07/2003
Melhor campanha: 4° (terceira divisão, 2006)
Posição em 2017:

Análise: Depois de ter ficado muito tempo afastado do futebol profissional, o EC Resende retornou aos gramados no ano passado e fez uma grande campanha, mas bateu na trave em relação ao acesso, perdendo o jogo decisivo para o 7 de Abril. Ficou apenas na sexta colocação. Mas o clube manteve as peças e a boa estrutura de 2017, sendo tido como um dos grandes favoritos ao título e ao acesso. Ao longo de todo o ano, os jogadores seguiram em atividade, realizando jogos-treino.

Destaque: MARCUDINHO - O veloz atacante retorna ao clube este ano com a missão de liderar a equipe para o acesso. Revelado pelo Bangu, teve uma passagem pelo Volta Redonda neste ano, mas sem muito destaque. De volta ao EC Resende, ele vive a expectativa de ser um dos principais nomes do campeonato, aos 23 anos e no momento em que pode ver sua carreira finalmente decolar.

Fique de olho: TÁSSIO - Lateral-direito de muita qualidade, foi eleito o melhor de sua posição na Série C do ano passado, defendendo o Miguel Couto, clube do bairro onde mora, em Nova Iguaçu. Busca repetir o feito agora, pelo EC Resende. Além do prêmio individual, sonha com o acesso nesta temporada e que também não veio em 2017.

Revelação: GABRIEL - Jogador da base do clube, o meia é muito habilidoso e, apesar de apenas 20 anos, sabe cadenciar muito bem o jogo. Chama a atenção pela batida na bola e facilidade para fazer jogadas com os dois pés. Apesar de não ser titular, sempre acaba atuando no time principal por alguns minutos nos treinamentos.

O técnico: ANDERSON OLIVEIRA - Substituiu de última hora o técnico Luiz Paulo, que teve problemas de saúde e deixou o cargo. Inicialmente, Anderson exerceria a função de preparador físico. Aos 36 anos, já passou por Angra dos Reis, Bonsucesso e Resende. Como técnico, comandou o sub-15 do Cesso, nos anos de 2014 e 2015.

Time-base: Jorge; Tássio, Cazu, Vinícius e Héber; Caio, Jair e Lacraia; Jobinho, Andinho e Marcudinho.

image

INDEPENDENTE

Fundação: 29/12/1992 
Melhor campanha: 11º (segunda divisão, 2001)
Posição em 2017: não disputou

Análise: O Independente se profissionalizou em 2000, quando conquistou a Terceirona. Porém, quatro anos depois, o clube profissional acabou se tornando o atual Serra Macaense. De lá para cá, se voltou aos campeonatos amadores, virou hexa campeão macaense na véspera de sua estreia na Quartona. A simbólica data pode ser também um divisor de águas na história do clube, caso sua campanha na Série C o faça chegar longe. Aliás, muitos atletas que fazem parte do elenco que disputa o campeonato citadino poderão ser reaproveitados mais adiante.

Destaque: ÍTALO - Se todo time começa por um grande goleiro, o Independente nem precisou ir tão longe assim para conseguir o seu. Titular do Serra Macaense no primeiro ano de retomada do Verdão, mostrou destreza e coragem em várias partidas, firmando belas atuações e conseguindo um acesso. Poderá repetir a dose no clube caso repita a bela forma de 2016.

Fique de olho: RUDHERY - A referência ao nome do grande zagueiro argentino pode ter influenciado no destino deste volante de 22 anos. Mais um jogador revelado pelo Macaé, não conseguiu oportunidades no time de cima. Chegou a treinar com o Goytacaz em 2016, mas não foi aproveitado. Apesar de ser um marcador, gosta de sair jogando e rende melhor quando atua com mais liberdade no meio-campo.

Revelação: ALESSANDRO - Meia de 19 anos e que já teve passagem pelo Macaé. Durante a atual temporada, foi titular do Leão do Norte em alguns jogos do Campeonato Carioca de Juniores, mas não ganhou oportunidades a partir de então. No Independente, abriu-se chance de encontrar um espaço e a sequência que necessita para se firmar.

O técnico: JEOVÁ FERREIRA - Foi o treinador que conquistou a maior glória da história do Independente: o título da Terceirona em 2000. O técnico de 54 anos busca repetir o feito e recolocar o clube no cenário do futebol estadual. Montou um elenco formado por diversos atletas da região, local onde pôde trabalhar em diversos clubes.

Time-base: Ítalo; Igor, Neemias, Robson e Felipe; Ian, Rudhery, Alessandro e Geovane; Aldênio e Bocão.

image

ITABORAÍ PROFUTE

Fundação: 04/06/2004
Melhor campanha: 10º (segunda divisão, 2006)
Posição em 2017:

Análise: Depois de uma temporada positiva, embora sem o acesso à Terceirona, o Profute mostrou ser competitivo e, por isso, manteve a base do trabalho realizado em 2017. Além da comissão técnica e da maioria dos jogadores, ainda conseguiu fortalecer ainda mais um elenco que já entraria no campeonato com boas possibilidades. Reforços de nível alto como Léo Oliveira e Emerson Carioca deixam o time atualmente sediado em Nova Iguaçu em condições de brigar pelo acesso, além da experiência já adquirida por quem ficou. Uma equipe para se observar com carinho.

Destaque: EMERSON CARIOCA - Tem qualidade de sobra para ser um dos grandes destaques do campeonato. Se a passagem meteórica pelo Friburguense não serviu como referência, os jogos que fez pelo Audax falam melhor sobre um jogador forte, voluntarioso e talentoso, capaz de finalizar de qualquer lugar, sempre com perigo. Nascido em Nova Iguaçu, se sentirá em casa no novo clube.

Fique de olho: LÉO OLIVEIRA - A última contratação do clube para a temporada foi também uma das mais importantes. Aos 35 anos, o meio-campista rodou por diversos clubes do Rio, vem de recente passagem pelo Americano e chega ao Profute com status de líder. A força e entrega na marcação já são marcas registradas do jogador, que costuma deixar admiradores entre os torcedores dos times que defendeu.

Revelação: HANDRIW - Tem apenas 20 anos mas um futebol de veterano. Assumiu a posição de titular no começo da pré-temporada e é um jogador polivalente no meio-campo. Se a marcação é seu principal forte, a qualidade no passe e a visão de jogo o tornam um parceiro ideal para Léo na contenção. Já esteve nas categorias de base do Palmeiras (SP).

O técnico: PAULO ROBERTO MIÚDO - O bom trabalho com o Profute em 2017 o credenciou a estar de volta. Se a luta pelo acesso não foi capaz de garantir o time entre os seis melhores da última Quartona, os vários jovens que brilharam sob seu comando voltam a ter grande confiança em um treinador que cobra bastante de seus atletas, mas tem com eles uma relação de companheirismo, o que só tende a ajudar o promissor grupo.

Time-base: Willian; Mário, Robson, Fábio e Marcos Japão; Handriw, Léo Oliveira, Tartá e Digreg; Lelê e Emerson Carioca.

image

MAGEENSE

Fundação: 07/09/1917
Melhor campanha: estreante
Posição em 2017: não disputou

Análise: Talvez um dos times que mais tenha investido para a Série C. Formou um elenco recheado de jogadores conhecidos do futebol carioca. O maior deles é Junior César, morador da região, mas que ainda não foi regularizado. No entanto, nomes fortes nas divisões intermediárias, como os meias Daniel e Miguel, o volante Ederson e o atacante Vitor Borges se juntam à juventude de nomes locais e até ex-banguenses, casos de Marcos Paulo e Luiz Cláudio. Um clube centenário, mas que debuta no futebol profissional recheado de ambição.

Destaque: JUNIOR CESAR - Multicampeão e com passagens por gigantes como Atlético (MG), São Paulo e três dos quatro grandes do Rio. Chega como um dos nomes mais famosos da competição, talvez só perdendo para Túlio. O jogador tem 36 anos de idade e vem de uma tímida Série B1 pelo Itaboraí em 2017, onde atuou no meio-campo e disputou apenas 10 partidas.

Fique de olho: MIGUEL - Altos e baixos em 2018: após cair com o Bonsucesso para a Segundona, migrou para o Macaé, por onde disputou a Série D do Brasileirão e teve bom desempenho. O segundo semestre, no entanto, será com o Mageense, em plena Quartona. Aos 29 anos, disputou 17 jogos na temporada, entre os dois clubes que defendeu, marcando dois gols.

Promessa: MATHEUS DUARTE - Com apenas 19 anos, o lateral-direito já tem passagens como profissional pelo extinto Rio de Janeiro, justamente do município de Magé. No primeiro semestre, defendeu a equipe sub-20 do America, sendo titular absoluto e balançando as redes em um importante compromisso contra o Fluminense.

O técnico: MAURINHO - Conhecido pela passagem como jogador no Flamengo, o ex-lateral de 43 anos vai para a primeira experiência como treinador efetivo, após períodos como auxiliar de Dejan Petkovic em clubes como Criciúma (SC) e Sampaio Corrêa (MA). Fez diversos estágios e se preparou para a função, ganhando agora sua primeira oportunidade, na equipe de Magé.

Time-base: Serjão; Matheus Duarte, Giovani, Jhonata e Weslei; Ederson, Rodrigo Lopes, Daniel, Miguel e Junior Cesar; Carlinhos.

image

PADUANO

Fundação: 27/05/1927
Melhor campanha: 8º (segunda divisão, 1990)
Posição em 2017:

Análise: A cidade de Santo Antônio de Pádua vive a expectativa de, finalmente, voltar a receber um jogo de futebol profissional com torcida. A diretoria agiu cedo e, meses antes mesmo da divulgação da tabela da Quartona, já possuía em mãos os laudos técnicos liberando o Estádio Waldo Carneiro Xavier. A principal esperança do clube é justamente na volta para casa: o elenco é formado por alguns remanescentes de 2017, como Berrío e Clemente, somando forças com atletas com várias passagens recentes pelo Trovão, como Maurício Stronda e Marcelo Pano.

Destaque: MARCELO PANO - Já dá para dizer que é um dos jogadores mais identificados com o clube no retorno recente ao profissionalismo. O atacante vai para a terceira passagem no Paduano, sempre revezando entre o Trovão e o Jequié (BA). Desta vez, a equipe baiana disputou a elite local e Pano até balançou as redes em um jogo contra o Bahia.

Fique de olho: BRUNO - Lateral-direito de apenas 20 anos, chega credenciado após passagem pelo Tocantins, onde defendeu a equipe local, já entre os profissionais, com apenas 19. No entanto, não terá vida fácil, já que Berrío, titular no ano passado, é um dos principais concorrentes da posição.

Promessa: DEPETRI - Argentino natural de Córdoba, o jogador de apenas 20 anos de idade se aventura em Pádua para tentar brilhar no último escalão do futebol do Rio de Janeiro. É meio-campista. Não é o único gringo do elenco, mas foi bastante utilizado nos amistosos de pré-temporada e nas competições regionais disputadas pelo Paduano.

Técnico: BRUNO PEREIRA - Após apagar um incêndio em 2017, assumindo a equipe em meio a maus resultados, começou como auxiliar-técnico, virou interino e foi efetivado, chegando até a lutar pelo acesso no segundo turno da Quartona. O bom desempenho o credenciou a ser o escolhido pela diretoria para iniciar um trabalho, desta vez com mais tempo, sendo o treinador principal desde o começo da competição.

Time-base: Danilo; Berrío, Clemente, Maxi e Miquinho; Joca, Tiaguinho e Alessandro; Maurício Stronda, Marcelo Pano e Ruan.

image

SÃO JOSÉ

Fundação: 04/02/2005
Melhor campanha: 11º (terceira divisão, 2012)
Posição em 2017: não disputou

Análise: É mais um dos clubes que volta, após longa inatividade, ao futebol do Rio: cinco anos. Nesta temporada, o clube do Noroeste Fluminense vem de uma preparação extensa, apostando em um elenco de jogadores como sempre jovens, mas alguns deles com bom potencial e até alguma experiência na própria Quartona. Sobretudo entre a comissão técnica, há uma confiança de que o plantel possa representar bem a região e fazer um papel relevante na competição.

Destaque: ROMARINHO - Na temporada passada, foi um dos principais destaques do Paduano, que fez campanha sólida na Quartona, mas não conseguiu o acesso. Agora no São José, ele é uma das principais esperanças do time. Dono de um jogo ágil, é franzino e consegue criar boas jogadas para escapar das defesas rivais e, por vezes, marcar ele mesmo os gols.

Fique de olho: JOÃO PEDRO - Lateral-esquerdo que já mostrou qualidade na temporada passada, quando jogou pelo Paraíba do Sul. Já com passagem pelo futebol português, é um jogador com bom senso de posicionamento e domínio da posição, atuando como um digno marcador e uma ótima opção em lances ofensivos e de troca de passes no setor de ataque.

Revelação: SÁVIO - Apenas 17 anos e um futuro inteiro pela frente. Assim é o garoto que joga como atacante e já ganha oportunidades no time titular. Embora ainda precise de amadurecimento, já é dono de boa qualidade com a bola dominada e pode ser uma importante válvula de escape para seus companheiros de setor ofensivo.

O técnico: JORGE BUG - Acostumado a acompanhar o futebol do interior mineiro, viveu seu "batismo de fogo" em termos de Rio de Janeiro no ano passado, pelo Paraíba do Sul. E parece ter tirado lições positivas da experiência. Desta vez, comanda seu grupo já ciente das dificuldades que existem dentro e fora de campo na Quartona. Como um dos poucos treinadores que ficou no cargo até o fim no ano passado, já declarou publicamente seu otimismo no trabalho da equipe.

Time-base: Carlos Ruan; Marcos Vinicius, Popoco, Gustavo e João Pedro; Daniel, Cabrito e Cadin; Romarinho, Leonardo e Sávio.

image

TERESÓPOLIS

Fundação: 04/04/1915
Melhor campanha: 10º (segunda divisão, 2008)
Posição em 2017: 12º

Análise: É com uma cara mais otimista que chega o Teresópolis para 2018. Após uma temporada conturbada, dificuldades financeiras e quatro técnicos diferentes, o clube vem trabalhando com mais calma e até uma metodologia diferente, integrando as comissões técnicas de todas as categorias. Entre os jogadores, alguns permaneceram do ano passado e puderam tirar pontos proveitosos, como boas atuações individuais. Na pré-temporada, o Terê agradou e promete chegar mais forte.

Destaque: LENON - O meia-atacante, que já esteve presente em diversas outras campanhas do Terê em Estaduais, pode ser o termômetro do time durante a disputa desta Série C. Atuando na criação da equipe, o jogador consegue ditar o ritmo da partida e ser fundamental na briga pelo acesso à Série B2. No entanto, sabe mudar de característica para buscar jogadas de infiltração.

Fique de olho: GILSINHO - O lateral, de boa chegada no comando ofensivo, pode ser uma válvula de escape para a equipe pelo lado destro do ataque. Já demonstrou um pouco deste estilo durante a Quartona do ano passado, sendo um dos principais destaques do time, o que lhe garantiu uma vaga no elenco atual. A intensidade do jogador pode ser determinante para os resultados da equipe.

Revelação: JHONATAN - Zagueiro que é cria do próprio clube, tem apenas 20 anos e já rodou por outros clubes como Bangu e Artsul, ainda na base. Desta vez, busca seu espaço no time principal do Terê e, para isso, conta com alguns pontos fortes interessantes para um jogador de sua posição, como boa antecipação e frieza na hora do bote.

Técnico: MARCUS DANTAS - Aos 33 anos, é o mais jovem técnico da Quartona e começa a temporada no banco de reservas, mesmo sendo o coordenador técnico. Marcus participou diretamente da montagem do elenco, portanto tem o controle e sabe bem das características dos comandados, podendo extrair o melhor de cada peça durante a temporada.

Time-base: Bruno; Gilsinho, Ismael, Carlão e Jonathan Luiz; Caio Patrick, Buiú, Diego, Fabinho e Lenon; Dodô.

image

TOMAZINHO

Fundação: 02/01/1930
Melhor campanha: 8º (segunda divisão, 1989)
Posição em 2017:

Análise: A luta pelo acesso neste ano promete ser mais árdua para o Lobo da Baixada. Se fez uma campanha destacada em 2017, o momento atual do clube é diferente. A equipe precisou encontrar parcerias de última hora para viabilizar sua participação no campeonato, mas não montou seu elenco na base da correria. Aos poucos, o grupo foi sendo formado, mas sem o mesmo peso e experiência dos jogadores que levaram o time meritiense ao play-off do acesso no ano passado.

Destaque: LUCAS TIAGO - Aos 33 anos, é o jogador mais velho do grupo e referência técnica no meio-campo. Jogador centralizador de jogadas, deverá passar aos mais jovens toda sua experiência, além de ser o responsável por criar jogadas que deixem seus companheiros em boa posição. O entrosamento com os companheiros é outro ponto que poderá ser positivo em seu jogo.

Fique de olho: ISMAEL - Jogou no Barcelona e agora defende o Tomazinho em um desafio diferente. Embora menos pressionado do que em uma Terceirona, tem a possibilidade de atuar com mais frequência. É um marcador concentrado e que também pode atuar um pouco mais recuado do que como volante, indo para a zaga no caso de eventualidades.

Revelação: ALBERT - Rápido atacante de 20 anos, já surge como candidato a titular caso o time precise de jogadas de beirada de campo. No esquema de sua equipe, pode sair beneficiado com a liberdade criativa que se dá aos homens de lado, com dribles e jogadas na direção do fundo do campo fazendo a diferença em um lance ofensivo.

O técnico: IEDSON PEREIRA - Em princípio, surgiu como técnico interino após a saída de Bruno Igor para o Fluminense, onde vai trabalhar com a base. Ele é o supervisor da equipe e um dos responsáveis por tocar o futebol do clube em 2018. Já tendo atuado no futebol paulista como dirigente, terá trabalho para acumular as funções no Tomazinho, enquanto segue atrás de um comandante efetivo.

Time-base: Lucas; Manhães, Ruan, Roger e Gustavo; Ismael, Lucas Tiago, Jeferson e Cassiano; Albert e Maycon.

Tags: Carioca Série C

Outras Notícias

Encontre-nos no Facebook






As informações deste site são constantemente atualizadas pelo FutRio. Ressaltamos que o FutRio reserva-se ao direito de alterar qualquer informação do site, valores e demais informações, sem aviso prévio.

© Copyright FutRio - Todos os direitos reservados.

desenvolvido por