Em 03/09/2018 às 22 h49

Dívidas com borderôs atormentam clubes da Quartona, que tentam quitar débitos

Tomazinho garante ter pago pelo menos uma de suas taxas a tempo


Autor: Gabriel Andrezo / Foto: Gabriel Andrezo (FutRio)

Entra ano, sai ano, a história é sempre a mesma na Série C do Carioca: clubes acumulam dívidas com borderôs e precisam se desdobrar para quitar os débitos. Em 2018, a Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro (FFERJ) apertou o cerco e passou a ser mais enérgica com as equipes, punindo-as com perdas de mando de campo e até com a suspensão do campeonato. Na última semana, vários clubes sofreram sanções da Federação por conta da falta de pagamento das taxas, mas alguns contestam a validade destas penas. Pelo menos três clubes tem tentado provar que pagaram a tempo as despesas de pelo menos um dos três jogos que fizeram em casa na primeira fase da competição.

Somente nesta semana, Ação, Búzios, Paduano, São José, Teresópolis e Tomazinho foram sancionados por não terem pago os borderôs de seus jogos como mandantes. A regra do campeonato diz que um jogo de dívida acarreta em uma perda de mando de campo, dois jogos ocasionam dois mandos perdidos, enquanto três desfalques são sinônimo de suspensão até que o débito seja quitado. Foi esta a situação do São José, que se viu eliminado após ser suspenso na última sexta-feira (31/8), perdendo assim a chance de enfrentar o Atlético Carioca e ultrapassar o Brasileirinho na tabela. Mas apesar da FFERJ já ter se posicionado, pessoas ligadas ao clube ainda não desistiram de provar que o São José honrou com os pagamentos, embora de forma atrasada.

Segundo apurou o FutRio.net, dirigentes do São José procuraram a FFERJ para realizar o pagamento de pelo menos dois dos três borderôs devidos pelo clube. Os mesmos alegam que efetuaram os pagamentos entre quarta e quinta-feira, enquanto a Federação emitiu a Resolução da Diretoria (RDI) que suspendia o clube na sexta-feira pela manhã, já que a postura da entidade foi de exigir o pagamento das as dívidas de forma integral e não parcelada. O jogo decisivo do Grupo D, contra o Atlético, estava marcado para este domingo e acabou suspenso justamente por conta da punição.

Havia quem acreditasse, dentro do clube, em uma reviravolta no caso, uma vez que a alegação era de que uma falha de comunicação entre o setor financeiro e o Departamento de Competições (DCO) foi a causadora de todo o problema. O clube pretendia fazer uma última tentativa para resolver a questão nesta segunda-feira e, se obtivesse sucesso, outro impasse seria criado: o Atlético já dispensou seus atletas após a confirmação da suspensão do São José e sua diretoria garantia que o time não entraria mais em campo profissionalmente em 2018. Com a confirmação do WO, as últimas possibilidades se esgotaram e o clube foi eliminado.

Tomazinho tenta evitar punição a longo prazo

Sem mais chances matemáticas de classificação para as quartas de final, o Tomazinho vai se despedir da Quartona nesta terça-feira (4), mas já está preocupado com o que o aguarda em 2019. O clube foi punido com a perda de um mando de campo por não ter pago o borderô de um de seus jogos, mas como seu próximo jogo é como visitante, a punição fica acumulada para 2019. Mesmo assim, a diretoria garante que pagou sua dívida antes da decisão ser promulgada pela FFERJ.

imageOs dirigentes do Tomazinho enviaram à reportagem do FutRio o comprovante do pagamento do borderô da partida contra o EC Resende, realizada em Duque de Caxias, no Estádio de Los Larios. A dívida, no valor de R$ 1.272,42, foi saldada mediante transferência bancária, segundo a diretoria, ainda na manhã da última quinta-feira (veja na imagem ao lado). A punição ao clube foi publicada apenas no dia seguinte.

Ainda de acordo com a diretoria do Lobo de Meriti, não houve um contato direto entre a FFERJ e o clube para comunicar sobre a perda de um mando de campo. O clube reclama do que considera um erro da entidade e garante ter feito o pagamento ainda em tempo de evitar a sanção, que precisará ser cumprida apenas na edição de 2019 da Série C do Estadual, já que o clube não pode mais se classificar para as quartas de final.

Situação semelhante viveu o Paduano, que também alega ter pago a dívida antes do pronunciamento por parte da Federação. O clube devia o borderô de um jogo, efetuou o pagamento na última segunda-feira, pela manhã, mas não pôde evitar a punição, que saiu na parte da tarde: precisou mandar seu jogo deste domingo, contra o Brasileirinho, na cidade vizinha de Aperibé, com portões fechados. Ainda assim, venceu por 2 a 0 e fechou a primeira fase na primeira posição de seu grupo.

Tags: Carioca Série C

Outras Notícias

Encontre-nos no Facebook






As informações deste site são constantemente atualizadas pelo FutRio. Ressaltamos que o FutRio reserva-se ao direito de alterar qualquer informação do site, valores e demais informações, sem aviso prévio.

© Copyright FutRio - Todos os direitos reservados.

desenvolvido por