Em 19/03/2019 às 18 h50

Marcelo Vianna analisa mudança nos regulamentos da B1 e B2: "Justiça"

Diretor de competições da FFERJ ressaltou o modelo de taças implementado


Autor: Redação FutRio / Foto: Úrsula Nery (Agência FFERJ)

A Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro (FFERJ) sorteou nesta terça-feira (19) os grupos e tabela das Séries B1 e B2 do Campeonato Carioca 2019. Em relação a 2018, os regulamentos das duas competições sofreram uma pequena mudança: caso um time vença os dois turnos, ele sobe diretamente e os dois melhores colocados da classificação geral disputam a outra vaga.

O Diretor de competições da Federação, Marcelo Vianna, comentou sobre as alterações nos regulamentos e a tentativa da entidade de fazer com que as competições sejam justas, enaltecendo o modelo utilizado com taças ao longo dos campeonatos: na Segundona, Santos Dumont e Corcovado. Enquanto na terceirona, o primeiro e segundo turno.

- Ano após ano, nós estamos implementando alguns modelos na parte técnica dos campeonatos para promover sempre mais justiça. Pelo menos, ao meu ver, o mais justo é (o campeonato) de ida e volta. Não é o caso dos estaduais, até pelo número de datas e despesas financeiras, que aumenta muito. Temos o desejo de sempre utilizar as taças. É um modelo muito bom, onde conseguimos ter três campeões no mesmo campeonato. Ou a mesma equipe vencer todas as taças e fazer barba, cabelo e bigode. Então, em cima disso, vamos pegando os regulamentos, entendendo como o campeonato é disputado e implementando o sentido de justiça, que acho que é o que vem ficando bem próximo do que entendemos por ser bem justo - disse.

Ao aprofundar a explicação sobre os novos regulamentos das Séries B1 e B2, em relação a possibilidade de um mesmo time vencer os dois turnos, o dirigente classificou como interessante o regimento, visando também os custos e o número de jogos das equipes. 

- Em 2019 será disputado bem próximo do que é na Série A. O vencedor das duas taças estará na final e, consequentemente, classificado para a primeira divisão de 2020. As duas outras equipes melhor classificadas jogarão duas partidas (ida e volta). Quem for o vencedor desse confronto, irá para a final e também estará classificado (para a elite). E daí sai a disputa da grande final. Foi ano após ano entendendo as dificuldades, o que poderia ser melhorado no regulamento, que chegamos nesse modelo, interessante, enxuto e onde os clubes não jogam tanto assim e eles conseguem disputar o campeonato com menos custos e ele fica bem competitivo - ressaltou.

VEJA MAIS:

Competições sem pausas em meio à Copa América 2019, disputada no Brasil

O calendário das competições estaduais não prevê nenhum tipo de pausa para a Copa América, que acontece no Brasil em junho. Marcelo Vianna, comparando com a forma escolhida cinco anos atrás, em relação à Copa do Mundo de 2014, também disputada no país, deixou claro que, para não haver conflito com partidas no Maracanã e da Seleção Brasileira, alguns jogos poderão ter datas alteradas, mas os campeonatos continuarão naturalmente.

- Mais ou menos o que aconteceu na Copa do Mundo de 2014. Os jogos mais importantes que acontecerão no Rio de Janeiro, vamos tentar fazer com que as partidas não ocorram no mesmo dia. Preservando os jogos da Seleção Brasileira. Mas a princípio a competição segue. Um ou outro jogo que teremos que adequar para não conflitar, principalmente, com uma partida no Maracanã ou da Seleção - comentou.

Laudos dos estádios

O diretor ainda analisou a situação dos estádios cariocas, já que muitos times não conseguem obter os laudos necessários para mandarem jogos nas suas respectivas casas. Ele ressaltou a importância do tema e acredita que todas as partidas serão disputadas nos estádios indicados previamente pelos clubes e com venda de ingressos para o público.

- Os laudos dos estádios são sempre pontos nervosos. Demanda uma força grande dos clubes. O Corpo de Bombeiros a cada ano sobe o nível de exigência. Mas temos a expectativa de que muitos estádios estarão liberados. Já temos alguns e outros estão bem próximos da liberação. Como por exemplo, o Giulite Coutinho. O America já adiantou muito a pendência com o Corpo de Bombeiros e está bem próximo de conseguir o laudo. O Cláudio Moacyr (de Azevedo, em Macaé) também. Parece que o prefeito da cidade já está se entendendo com os clubes. O de Cardoso Moreira (Ferreirão) e o de Itaboraí (Alzirão), que são estádios que têm uma utilização em jogos muito grande, estão com os laudos em dia. O Olaria também tem uma capacidade de reconstruir o laudo (do Estádio da Rua Bariri) com muita facilidade e já vem apresentando nos últimos anos. É uma coisa que não é facil. Temos que ficar em cima e os clubes se movimentarem. Mas a gente acredita que todos os jogos serão disputados nos estádios indicados pelas equipes, com portões abertos e venda de ingressos - concluiu.

Outras Notícias

Encontre-nos no Facebook






As informações deste site são constantemente atualizadas pelo FutRio. Ressaltamos que o FutRio reserva-se ao direito de alterar qualquer informação do site, valores e demais informações, sem aviso prévio.

© Copyright FutRio - Todos os direitos reservados.

desenvolvido por