Em 08/12/2019 às 20h14

Título da Série C coroa história gigantesca de Léo Flores no Ceres

Com 222 jogos pelo clube, onde está há 19 anos, goleiro ganha primeiro título


Autor: Renan Mafra / Foto: Vitor Costa (FutRio)

A caminhada é longa. Já se vão 19 anos desde a primeira passagem de Léo Flores pelo Ceres, com 222 jogos. Nesse tempo, o goleiro viveu momentos ruins, como o rebaixamento para a quarta divisão do Estadual, e momentos bons, mas nada comparável ao título da Série C do Campeonato Carioca que veio no domingo (01/12), o primeiro dele no Alviceleste. A conquista foi tratada como cereja do bolo da carreira de Léo Flores no clube

image

- O sentimento que eu senti por esse clube que eu amo tanto é fantástico. Eu saio, vou para um clube, vou para o outro, mas sempre quando o Ceres precisa eu venho ajudar. Nessa brincadeira já se vão quase 20 anos. Eu sempre dou a vida por esse clube. Quando eu perco no Ceres dói mais, quando eu ganho o sentimento é maior. O título da Série C foi a cereja do bolo. Agradeço muito a Deus - comemorou o capitão da equipe.

Sobre a final, Léo Flores admitiu que o coração quase não aguentou tanta emoção, falou sobre os ensinamentos que passou para os mais jovens e revelou que Michael, autor do gol do título, foi muito criticado no início da Série C do Campeonato Carioca, pois perdia muitos gols.

- Foi muito sofrimento. O Michael foi muito criticado no começo da competição por perder muitos gols e fez o gol do título. Só Deus para fazer isso para a gente. Mas falava sempre para todos que erro e acerto acontece, mas para errar, tem que errar como homem. Tem que ter personalidade, coragem. Jogador não pode ter coragem de jogar. Os melhores já erraram, então se errar, tem que continuar - disse.

Aos 40 anos, sendo o mais experiente da equipe, Léo Flores sempre cobrou mais personalidade dos jogadores e para ele, o empate contra o Paduano fora de casa, ainda na fase de grupos, colocou o Ceres no caminho do acesso, mesmo tendo um jogo abaixo do esperado, contra o Paraíba do Sul.

image

- Fomos encorpando dentro da competição e acho que o empate contra o Paduano fora de casa foi um momento chave. Ali eu senti que dava para chegarmos ao acesso e ao título. Contra o Paraíba do Sul levamos um susto porque entramos muito moles. Alertei que no futebol não tem nada ganho, se ganha e se perde em um segundo. Consegui colocar na cabeça do grupo que era preciso concentração o tempo todo e conquistamos o título, como uma família - finalizou.

Com o título da Série C do Carioca, o Ceres carimba o acesso à Terceirona com chave de ouro. Em 2020, além da Série B2, o clube também disputará a Copa Rio.

Outras Notícias

Encontre-nos no Facebook






As informações deste site são constantemente atualizadas pelo FutRio. Ressaltamos que o FutRio reserva-se ao direito de alterar qualquer informação do site, valores e demais informações, sem aviso prévio.

© Copyright FutRio - Todos os direitos reservados.

desenvolvido por